Baralho de Ideias

Quem ganhar uma vaza dará início à seguinte.

Sistemas de Custeio – Aplicação Prática

Aproveitando mais um dúvida que me enviaram, publico mais um exercício para ajudar outras pessoas que possam ter dificuldades em construir as Demonstrações de Resultados pelos diferentes  Sistemas de Custeio ( Total, Racional ou Variável).

Enunciado

Considere que a demonstração de resultados por funções, elaborada pelo Sistema de Custeio Racional, é a seguinte:

  SCR
Vendas 72.000 €
CIPV+CINI 36.600 €
M.Bruta 35.400 €
GDistribuição  
   Variáveis 6.000 €
   Fixos 8.000 €
GAdministrativos 5.000 €
GFinanceiros 7.000 €
RAI 9.400 €

Sabendo ainda que:

  •  Preço de Venda é 60 €/unidade
  • Custos Industriais (totais) subdividem-se em:
  •      Consumo de Matérias-Primas: 18.000 €
  •      Custos de Transformação
  •           Variáveis: 12.000 €
  •           Fixos: 15.000 €
  • Não havia existências iniciais de produtos acabados, mas no final do período em análise verificou-se existências finais de 300 unidades (admita que não existem produtos em vias de fabrico)
  • A empresa está a utilizar actualmente 80% da sua capacidade instalada.

Resolução

1º passo é conhecer a Quantidade Produzida:

Conhecemos o Valor de Vendas (72.000€) que é igual qualquer que seja o sistema de custeio adoptado e sabemos também o preço de venda, logo sabemos a quantidade vendida: Qv = Vendas / Pv = 72.000€ / 60€ = 1.200 unidades vendidas

Sabendo, que a empresa não tinha em armazém no início do período em análise unidades produzidas e que no final do mês sobraram 300 unidades. Conseguimos validar que foram produzidas 1.500 unidades. Como?

Quantidade produzida = Quant. Vendida + Ef PA – Ei PA = 1.200 + 300 – 0 = 1.500 unidades produzidas

Com estes valores já conseguimos calcular os resultados do Sistema de Custeio Total e do Variável. Contudo, para validarmos que a DR apresentada é pelo Sistema de Custeio Racional, devemos também saber a quantidade da capacidade instalada, ou seja, a capacidade máxima de produção nas condições normais da fábrica.

Se actualmente estamos a utilizar 80% da capacidade instalada, o máximo de produção seria 1.875 unidades: 1.500/80% = 1.875 unidades

2º Passo: calcular o Custo Industrial por Unidade produzida (CIPA):

  1. CIPA SCT = MP + CT = 18.000€ + 12.000€ + 15.000€ = 45.000€
  2. CIPA SCT Unitário = CIPA / Quantidade produzida = 45.000€ /15.000 = 30€
  1. CIPA SCV = MP + CT variáveis = 18.000€ + 12.000€ = 30.000€
  2. CIPA SCV Unitário = CIPA / Quantidade produzida = 30.000€ /15.000 = 20€

Para confirmarmos os nossos cálculos podemos calcular o CIPA do SCR:

  1.  CIPA SCR = MP + CT variáveis  + CT fixos x (Quant. PA / Quant. Cap. Instalada)= 18.000€ + 12.000€ + 15.000€ x 80%= 42.000€
  2. CIPA SCR Unitário = CIPA / Quantidade produzida = 42.000€ /15.000 = 28€

3º Passo: conhecer os valores que não serão incorporados no CIPV, ou seja, calcular os Custos industriais não incorporados (CINI):

  • CINI SCR = CIPA SCT – CIPA SCR = 30 € – 28€ = 2€ x 15.000 unidades = 3.000€
  • CINI SCV = CIPA SCT – CIPA SCV = 30 € – 20€ = 10€ x 15.000 unidades = 15.000€ (valor igual aos CT fixos)

4º Passo Calcular o Custo Industrial dos Produtos Vendidos (CIPV) e acrescentar aos CINI:

  1. CIPV SCT = Qv x CIPA unit SCT = 12.000€ x 30€ = 36.000€
  2. CINI  SCT = é sempre igual a 0€
  1. CIPV SCV = Qv x CIPA unit SCV = 12.000€ x 20€ = 24.000€
  2. CINI  SCV = 15.000€
  3. CIPV + CINI = 39.000€
  1. CIPV SCR = Qv x CIPA unit SCR = 12.000€ x 28€ = 33.600€
  2. CINI  SCR = 3.000€
  3. CIPV + CINI = 36.600€ (Valor igual ao indicado na demonstração do enunciado!)

5º Passo: apresentar as DR’s pelos 3 Sistemas de Custeio:

SCR SCT SCV
Vendas 72.000 € 72.000 € 72.000 €
CIPV+CINI 36.600 € 36.000 € 39.000 €
M.Bruta 35.400 € 36.000 € 33.000 €
GDistribuição
   Variáveis 6.000 € 6.000 € 6.000 €
   Fixos 8.000 € 8.000 € 8.000 €
GAdministrativos 5.000 € 5.000 € 5.000 €
GFinanceiros 7.000 € 7.000 € 7.000 €
RAI 9.400 € 10.000 € 7.000 €

Devem seguir sempre estes passos para conseguirem resolver qualquer exercício de Sistemas de Custeio!

Fim

TS

About TANIA SARAIVA

Profissão: - Gestora de Mercado na Portugal Telecom - Assistente Convidada no ISCAL Educação: - Mestrado em Contabilidade no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa - Licenciatura em Gestão no Instituto Superior de Economia e Gestão

11 comments on “Sistemas de Custeio – Aplicação Prática

  1. Deodato
    21 Fevereiro 2015

    boa noite Chamo me Deodato mas uma vez existe erro no resultado acima descrito
    onde diz 72000€/60€ é 1200 unidades e não 12000 unidades como esta ali

    • TANIA SARAIVA
      25 Fevereiro 2015

      Obrigada pelo alerta Deodato.

  2. deodato
    21 Março 2015

    existe ca mais um erro de numeros …uma vez que a quantidade produzia é 1500 un e não 15000un

  3. abilio
    27 Agosto 2015

    tenho teste amanha e me ajudaste muito bro:::: obrigado

    • TANIA SARAIVA
      31 Agosto 2015

      Boa sorte Abilio

  4. Fedra Araújo
    4 Janeiro 2016

    Olá boa tarde, chamo-me Fedra. Já consigo fazer os cálculos, mas o meu professor sempre pede no fim do exercício uma pergunta tipo : “Explique analiticamente as diferenças dos Resultados obtidos pelos sistemas de custeio utilizados.”
    Muito obrigada🙂

    • TANIA SARAIVA
      5 Janeiro 2016

      Olá Fedra,

      O que difere entre os sistemas de custeio é o cálculo dos custos de produção, onde no SCT considera-se todos os Custos Industriais (MP+MOD+GGF) variáveis e fixos e no SCV só entram os custos variáveis industriais, os custos fixos industriais neste sistema são considerados custos do período e levados directamente a Demonstração de Resultados (DR’s) numa rubrica de Custos Industriais não Incorporados (CINI) e no SCR parte dos custos dixos industriais (Não utilizados) são também imputados como custos do período e não do produto.

      A principal diferença nos resultados entre os sistemas ocorre quando há Variação das existências:

      Qdo não há Variação de Existências (PA = PV) – os sistemas apresentarão resultados idênticos;
      Qdo as Existências Iniciais são superiores às Existências Finais (PA > PV);
      Qdo as Existências Finais são superiores às Existências Iniciais (PA < V o resultado do SCT será sempre o maior e quando a PA < V o resultado do SCT será sempre o menor. Já o SCR é sempre o que apresenta os resultados intermédios.

      Qualquer questão adicional não hesite!

  5. Alexandre
    28 Junho 2016

    Boa tarde, tenho uma dúvida que gostava que me esclarece-se.

    com o SCV como resolvo o Cipa e o cipa unit se só tiver informação de matéria prima (18000€) e custos de transformação variáveis (9000€) e fixos (24000€)?

    • TANIA SARAIVA
      30 Junho 2016

      Olá Alexandre,

      no SCV devemos incluir apenas no CIPA os custos variáveis logo: Matéria-prima e CT variáveis. Os CT fixos são considerados como custos do período e levados até à conta de CINI (Custos Industriais não Incluídos).

      CIPA = 18.000€+ 9.000€ = 27.000€
      CIPA unit = CIPA / QPA

      Cumps,
      TS

  6. rui
    12 Julho 2016

    Boa tarde,

    Num exercício é-me dado: preço de venda 3eur, custo fico industriais0.6/unid e custo variável industrial 4500, efpa 1000 e produção normal 6250

    Sitação A: vendas 12000 custo vendas 3600
    Situação B: vendas 12000 custo vendas 6000
    Situação C: vendas 12000 custo vendas 5520

    calculei produção = 5000
    qt vendida = 4000

    A pergunta é a seguinte do ex é: identifique o sistema de custeio e o CINI para cada uma das situações.

    Minhas perguntas:

    -como calculo os custos fixos, sendo que em A é 0, B é 3000 e C é 2400 ?
    eu sei que pr/pn= 0.8 e que o 2400 é obtido apartir de 5000*0.6*0.8 e que o 3000 é obtido por 5000*0.6

    -Que tenho de fazer para saber que A é sistema de custeio variável, B é sct e C scr ?

    • TANIA SARAIVA
      19 Julho 2016

      Olá Rui,

      o seu raciocínio está correcto. É fácil verificar que em termos de custeio o sistema é calculado segundo regras.

      Logo, sabendo que o SCT engloba todos os custos industriais (variáveis e fixos) a situação B é a que corresponde a esse sistema, porque:
      CIPA unit. = 0,6 + 4.500/(12000/3 + 1000) = 1,5€
      Justificação cálculo: 1º é preciso encontrar a produção do período em análise e não havendo existências iniciais a produção deve ser igual à soma da quantidade vendida e das existências no final do período: 12000€/3€ (Vendas/pv) = 4.0000 (quantidade Vendida) + 10000 (existência Final)
      CIPV = 4.000 unidades vendidas x 1,5€ (CIPA) = 6.000€

      A situação A corresponde ao SCV dado que neste sistema só se considera os custos industriais variáveis como custo do produto, os custos fixos são considerados custos do período e irão ser reconhecidos numa conta especial (CINI – custos industriais não incorporados).
      CIPA = 4.5000€/5.000 = 0,9€
      CIPV = 4.000 x 0,9€ = 3.600€

      Por último a situação C corresponde ao SCR dado que apenas parte dos custos fixos são incorporados nos custos do produto, na proporção da sua utilização.
      CIPA = 4.500/5.000 + 0,6 x (5.000/6250) = 1,38€
      CIPV = 4.000 x 1,38€ = 5.520€

      Aproveito para dar um truque que ajuda sempre:
      O CIPA SCT > CIPA SCR > CIPA SCV -> porque os custos fixos são incorporados na totalidade no SCT, parcialmente no SCR e não estão presentes no SCV

      Cumps,
      TS

Deixa a tua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 7 Março 2014 by in Contabilidade.

Navegação

Jogadas anteriores

Fonte da imagem do cabeçalho

Jogadores

%d bloggers like this: