Baralho de Ideias

Quem ganhar uma vaza dará início à seguinte.

Método Directo – Aplicação Prática

Caso prático muito simples para demonstrar a aplicação do Método Directo.

Conhecem-se as seguintes informações de uma Empresa, referentes ao mês de Abril  e que utiliza o Método Directo de Apuramento de Custos na sua Contabilidade Interna.

  • Produção: Produto “T”
    • A Ordem de Produção (OP)  n.º 22 (400 unidades do produto “T”) foi iniciada em Março e concluída em Abril.
  • Venda: Produto “T” ao preço de € 45/unidade
  • Existências Iniciais
    • Matérias-primas: 200Kg a € 4,25/Kg
    • Produtos em vias de fabrico:
      • OP  n.º 22,  € 1.300,00
    • Produtos acabados:
      • Produto “T” 100 unidades com o valor de € 3.725,00
  • Existências Finais
    • Matérias-primas: a determinar
    • Produtos acabados:
      • Produto “T” 50 unidades
  • Compras de MP: 1.800 Kg a € 4,50/ Kg
  • Custos indirectos de produção (GGF): € 2.600,00
  • Consumo de MP (valorização a custo médio):
  • OP  nº 22  – 1.500 Kg
  • MOD afectada à OP nº 22 – € 1.662,50
  • Os Custos de Distribuição são de € 900,00 e os Custos Administrativos correspondem a 5% das Vendas.
  • A valorização do CIPV e da Ef do Produto Acabado é efectuada segundo o método do custo médio.

1º Contabilização dos Movimentos Contabilísticos

CONTABIL

1. Matéria-Prima:

Sabemos à partida os valores das Ei e das Compras do Mês, logo e uma vez que a empresa utiliza o critério valorimétrico CMP iremos valorizar as saídas de armazém a 4,475€ (8.950€/2.000).

2. A MOD e GGF é totalmente aplicada à OP nº 22. Se existisse mais do que uma OP teríamos de imputar os custos dos GGF em função do critério de repartição definido pela empresa, por exemplo: horas de MOD

3. OP nº 22 – deverá ser debitada com todos os custos a ela imputados. EM 1º lugar se houver Ei de PVF + os custos do mês (MPP+MOD+GGF).

Se a OP ficar concluída (caso do nosso exemplo) no mês em causa deverá ser classificada como CIPA (Custo Industrial do Produto Acabado). Se a OP ficar em curso no mês em causa deverá ser classificada como Ef de PVF e que será a Ei PVF no mês seguinte.

4. Armazém de PA – deverá ser debitado com os custos referentes às quantidades que entraram em armazém. Isto é, Ei de PA (são produtos que transitaram do mês passado porque não foram vendidos) + CIPA (custo do produto acabado do mês – valor da OPnº22).

O CIPV (Custo Industrial do Produto Vendido) e a EF de PA serão apurados pelo CMP: (16.000€/500) x Qv = CIPV e (16.000€/500) x Qef = Ef PA

2º Elaboração Mapa de Controlo das OP

MAPA

NOTA: reparem que este mapa, não é mais do que reflexão dos custos da conta (T) da OP nº 22.

About TANIA SARAIVA

Profissão: - Gestora de Mercado na Portugal Telecom - Assistente Convidada no ISCAL Educação: - Mestrado em Contabilidade no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa - Licenciatura em Gestão no Instituto Superior de Economia e Gestão

8 comments on “Método Directo – Aplicação Prática

  1. José Marques
    24 Maio 2015

    Boa tarde estou resolvendo um exercicío por ordens de produção em que tenho todos os dados e pedem para fazer o mapa de custos industriais , determinado o cipa e o pvf será que podia ajudar-me.pois não estou conseguindo completar o exercicio.
    obrigado
    José Marques

    • TANIA SARAIVA
      25 Maio 2015

      Olá José,

      Qual a sua dificuldade? Se está a resolver o exercício com base em ordens de produção, está a aplicar o Método Directo. Logo, tem toda a informação disponível na contabilização dos custos da produção (MP, MOD e GGF).

      O mapa dos custos industrias, não é mais do que o resumo de todos os custos de produção consumidos/utilizados para a produção definida no período em análise:

      MAPA:
      MP consumida
      MOD utlizada
      GGF Utilizados
      CIP (Custo Industrial da Produção)
      Ei PVF
      – Ef PVF
      CIPA (Custo Industrial da Produção Acabada)

      Deve fazer uma coluna por cada produto da empresa.
      Cumps,
      TS

      • Casimiro
        30 Maio 2015

        Oi, Tânia.
        Considerando o método direto, como é que acrescento no mapa de custos os custos diretos, nomeadamente com a mão-de-obra? Ou seja, se o valor e a quantidade da mão-de-obra estão repartidos por centros de custos, como é que redistribuo esses valores pelas ordens de produção?
        Mais uma dúvida, para o cálculo dos custos das diversas secções, o que uso como unidade de imputação, os custos indiretos? Se sim, de que forma faço repercutir os custos diretos por essas mesmas secções?

        Muito obrigado pela ajuda!

      • TANIA SARAIVA
        1 Junho 2015

        Olá Casimiro,

        Tem de me explicar melhor a sua dúvida. Se se refere ao Mapa do Controlo dos Ordens de Produção, em que por linha devemos apresentar os custos associados a cada OP em curso no período em análise, deve somar todos os custos das diferentes secções que trabalharam para a respectiva OP e colocar o valor na coluna de MOD.

        Com certeza, que no exercício há informação sobre o trabalho desenvolvido por cada secção para cada Ordem de Produção (OP), no final soma os diferentes custos das secções e imputa à OP em análise.

        Em relação à 2ª questão, depende da informação que tiver disponível. O mais comum é cada secção ter a sua Unidade de Obra (UO) e imputar os custos através da mesma.

        Cumps,
        TS

  2. Alexandra
    4 Junho 2015

    Essas duvidas são exatamente as que tenho num exercício que estou a fazer em que me pedem: Mapa de custos industriais, por ordem de produção, determinando o
    custo industrial da produção acabada no mês (CIPA) e o custo da
    produção em vias fabrico (PVF) no final do mês.
    Estou completamente encalhada, ajudam na resolução de exercícios?
    Perciso ver a resolução para compreender…
    Nós não usamos os ts nas aulas…para esta matéria
    Obrigada

  3. Jennifer
    16 Dezembro 2015

    Que actividades económicas utilizam o método directo? Algunos ejemplos?

    • TANIA SARAIVA
      17 Dezembro 2015

      Oi Jennifer,

      Várias actividades económicas seguem este método, normalmente indústrias/sectores que trabalhem por encomendas. Exemplos disso são: empresas de móveis ou produção de cruzeiros

Deixa a tua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 19 Abril 2013 by in Contabilidade.

Navegação

Jogadas anteriores

Fonte da imagem do cabeçalho

Jogadores

%d bloggers like this: