Baralho de Ideias

Quem ganhar uma vaza dará início à seguinte.

A importância de entender o significa 你好!

大家好! Dàjiā hǎo! Olá a todos!

De uma forma geral, a aprendizagem de novas línguas revela-se essencial no contacto com novas culturas, mas os factores pelos quais estamos motivados a aprender variam de pessoa para pessoa. Outro aspecto essencial a salientar está relacionado com facto de que as modas / tendências ou o próprio contexto social envolvente poderão ser determinantes para a escolha da aprendizagem de uma língua em detrimento de outra.

Dito isto, e se já têm uma vaga ideia do tema a abordar, o objectivo principal deste post é dar uma perspectiva muito pessoal, do que tem sido a aprendizagem do Mandarim durante o último ano lectivo.

A primeira pergunta que poderão colocar é: o que raio significa 你好!. Pois bem, “Nǐ hǎo” é forma mais comum de cumprimentar alguém. É um “Olá!” e é talvez a forma de cumprimento que mais pessoas conhecem e utilizam (mesmo as que não sabem dizer mais nada em Mandarim).

Porque razão é importante aprender mais do que um simples “Olá”? A resposta baseia-se essencialmente nos seguintes 3 pontos:

Critérios Económicos / Conjunturais

Do ponto de vista económico a China beneficia de uma abertura recente do seu mercado interno o que faz com este player seja actualmente “o fruto apetecido” no âmbito de relações comerciais, pois alia dois factores que são essenciais num mercado em crescimento: dimensão e custos baixos. É verdadeiramente impresionante constatar que, apesar de um abrandamento recente, a China apresenta um crescimento médio anual de 9,9 % ao longo dos últimos 30 anos. De acordo com os dados revelados dia 13 de Julho de 2012 pelo Gabinete Nacional de Estatísticas da China  relativos ao 2º Trimestre de 2012,  o PIB da China para esse período é de 7,6% (ver com maior detalhe em RTP e Expresso). Apenas como nota adicional a sigla PIB significa Produto Interno Bruto e é um indicador económico e uma medida de crescimento de uma economia / país. Em termos comparativos, e independentemente das (pequenas) grandes diferenças, as previsões do Banco de Portugal para o nosso país apontam para um PIB em 2012 de -3%, apresentando desta forma um crescimento negativo.

PIB China últimos 30 anos

As diferenças e os pesos no panorama mundial da China e de Portugal são bastante desiguais mas, sem dúvida alguma, que uma aposta na aprendizagem do Mandarim poderá contribuir para a aproximação entre os dois países. Considero que apesar de Portugal estar a viver talvez o pior período da sua História recente deverá ver na China o caminho para crescimento e a sua grande oportunidade de se tornar menos dependente do fundamentalismo cego de uma Europa à beira do abismo.

Motivações e objectivos pessoais

Tal como refiro no início deste post, cada um de nós, poderá ter diferentes objectivos no que respeita à aprendizagem de uma nova língua. Neste sentido, o meu objectivo pessoal com a aprendizagem do Mandarim passa:

(i) pela valorização curricular dado que esta língua ainda é um “mistério” para inúmeros ocidentais e, dessa forma, aprender o Mandarim (ainda) é um factor distintivo.

(ii) indepentemente de outras questões, não menos importantes, que se poderão colocar em causa, a China é claramente uma potência mundial e, sobretudo num contexto de crise, acaba por potenciar ainda mais o seu papel nas relações com o Ocidente.

(iii) o desafio de aprender uma língua e uma cultura tão diferente e ao mesmo tempo tão fascinante.

Outros aspectos importantes a ter em conta

(i) a escolha do local de ensino: que eu tenha conhecimento, o único instituto homolgado pela Embaixada da China em Portugal é o Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa e o o Instituto Confúcio da Universidade do Minho. Em Portugal, apenas estas instituições de ensino estão habilitadas a representar o HanBan que é a organização pública para a divulgação e ensino da língua chinesa e que está sobre a tutela do Ministério da Educação chinês;

hanban

(ii) afinal não são só caracteres: esta é a primeira constatação de quem inicia a sua aventura pelo Mandarim. Em termos do ensino inicial desta língua existe aquilo a que apelidei de “conversão adaptada” dos famosos caracteres e que torna o primeiro impacto mais acessível e sobretudo mais próximo da nossa realidade. Chama-se “pinyin” e, em termos práticos, resulta na utilização do nosso alfabeto na identificação da palavra ou da frase em causa. Recorrendo ao exemplo inicial é o “Nǐ hǎo!” para os cactereres 你好!. Existem milhões de dicionários ou tradutores online, mas no decorrer do meu estudo tenho utilizado este. Acreditem que para “marrar” todas as palavras que queiramos aprender é preferível começar pelo “pinyin” e, numa segunda fase, passar então para a memorização dos caracteres.

Chinese Numbers

Chinese Numbers

(iii) Decorar, decorar e… decorar. Neste capítulo acaba tudo ser muito básico, bastando apenas darmos do nosso tempo e focarmo-nos no essencial. Eu diria que 10% do sucesso em saber Mandarim passa pelo conhecimento que temos de algumas das pricipais regras, mas os restantes 90% derivam na nossa aplicação em nunca desistir e repetir centenas de vezes a mesma palavra até ela já nos ser familiar. Aprendi que a “paciência de chinês” acenta no pressuposto que o conhecimento pode ser estimulado pela repetição intensiva até (literalmente) ter-mos tudo presente na nossa cabeça. Se repetirmos 1.000 vezes já não é mau, mas se repetirmos 10.000 é bem melhor…

(iv) Pormo-nos à prova e fazer o HSK. Este teste chama-se “Hanyu Suiping Kaoshi” e é o teste oficial de proficiência da língua chinesa. Existem cerca de 6 níveis diferentes, sendo que nos primeiros dois, é permitida a utililização do “pinyin”. A partir daí… apenas caracteres.

hsk

No nível I a lógica do exame consiste na memorização de cerca de 150 palavras previamente identificadas, sendo que no decorrer do meu estudo criei este ficheiro HSK – Nível I (Mapa Caracteres) para me auxiliar no processo de estudo. Uma última “dica” é a utilização de flashcards que é um outro excelente método para a memorização dos caracteres. Nesse sentido elaborei este  segundo ficheiro HSK – Nível I (Flashcards) para me ajudar nesta arrojada aventura.

Fēicháng gǎnxiè! 非常感谢! Muito obrigado!

About João Tomás Bossa

Sou licenciado em Gestão pelo ISEG e mestre em Contabilidade pelo ISCAL. Profissionalmente trabalho no sector financeiro nas áreas de contabilidade / fiscalidade. Sou apaixonado pela área dos mercados financeiros e fiscalidade. Como hobbies sou viciado em séries de TV e participo regularmente em provas de atletismo.

One comment on “A importância de entender o significa 你好!

  1. Claudia
    23 Julho 2012

    E já estamos inscritos no Nível II, certo? Tens ideia em que turma vais ficar?🙂
    E Parabéns pelo excelente resultado no Exame🙂

Deixa a tua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 15 Julho 2012 by in Economia & Finanças.

Navegação

Jogadas anteriores

Fonte da imagem do cabeçalho

Jogadores

%d bloggers like this: