Baralho de Ideias

Quem ganhar uma vaza dará início à seguinte.

Planeamento e Controlo de Gestão – CVR

CVR – Custo, Volume e Rendibilidade

Formulário Resumo

Esquema Resumo:

Legenda:

  • CDM – Custos Diferenciais Médios
  • CF – Custo Fixo
  • cf – Custo Fixo Unitário
  • CT – Custo Total
  • CV – Custo Variável
  • cv – Custo Variável Unitário
  • cv (p) – Custo Variável médio do mix de produtos
  • GAC – Grau de Alavanca Combinado
  • GAF – Grau de Alavanca Financeiro
  • GAO – Grau de Alavanca Operacional
  • MC – Margem Contribuição
  • mc – Margem Contribuição Unitária
  • MS – Margem Segurança
  • MS% – Margem Segurança em Percentagem
  • PDM – Proveitos Diferenciais Médios
  • pv – Preço de Venda
  • pv (p) – Preço de Venda médio do mix de produtos
  • Q – Quantidade
  • Q’ – Quantidade no Ponto Crítico Económico
  • R – Resultado
  • RAI – Resultado Antes de Imposto
  • RL – Resultado Líquido
  • RO – Resultado Operacional
  • V – Vendas
  • V’ – Vendas no Ponto Crítico Económico (Break Even)
  • Delta – Variação

TS

About TANIA SARAIVA

Profissão: - Gestora de Mercado na Portugal Telecom - Assistente Convidada no ISCAL Educação: - Mestrado em Contabilidade no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa - Licenciatura em Gestão no Instituto Superior de Economia e Gestão

6 comments on “Planeamento e Controlo de Gestão – CVR

  1. Sandra
    16 Julho 2014

    Tânia podias dar-me uma ajuda:

    A empresa TELE-ALFA, SA, dedica-se ao fabrico de telemóveis de um único modelo. No período N obtiveram-se os seguintes dados:

    Capacidade normal 1.200.000 unidades
    Produção do período 960.000 unidades
    Gastos fixos fabris 900.000 euros
    Gasto variável unitário 2,85 euros
    Preço de venda unitário 4,80 euros

    A empresa segue o disposto no SNC pelo que a margem de contribuição das vendas do período (800.000 unidades) foi de:

    a) 960.000€.
    b) 900.000€.
    c) 840.000€.
    d) Nenhuma das anterior

    mandei um mail com os comentários a este exercício

    • TANIA SARAIVA
      16 Julho 2014

      Boa tarde Sandra,

      este é um exercício simples de aplicação dos pressupostos, quando temos uma produção diferente da capacidade normal.

      A Margem de Contribuição ou Bruta resulta da diferença entre as Vendas e o CIPV (custo industrial das vendas). Logo, em primeiro lugar temos conhecer o custo unitário de produção do período em análise (N).

      CIPA = CV + CF = 2,85€ + 900.000€/1.200.000 unids = 2,85€ + 0,75€ = 3,60€/unid.

      Nota: dividimos os custos fixos fabris pela capacidade normal, porque são os custos que independentemente da empresa produzir muito, pouco ou nada terá sempre de suportá-los para a sua capacidade máxima (1.200.000 unidades).

      De seguida basta calcular o CIPV, dado não haver variação de existências resulta apenas da multiplicação da quantidade vendida pelo CIPA unitário: 3,60€ x 800.000 = 2.880.000€

      A MC resulta de : V – CIPV = 3.840.000€ – 2.880.000€ = 960.000€

      Cumps,
      TS

  2. sandra
    16 Julho 2014

    Obrigada Tânia, realmente assim faz sentido visto desta maneira.
    Então sempre que temos uma capacidade normal de produção diferente da produção real teremos que calcular primeiro o CIPA. Parece me que já entendi.
    Mais uma vez obrigada.

    • TANIA SARAIVA
      16 Julho 2014

      Olá Sandra!

      Sempre que houver uma capacidade normal estabelecida e conhecida será essa a base de repartição dos gastos fixos fabris.

      Cumps

  3. Raquel
    26 Setembro 2014

    Bom dia Tânia. Será que me poderia ajudar nesta questão ?

    Certa empresa fabrica e vende o produto Gama ao preço unitário de € 30/unidade. Para o efeito dispõe de instalações fabris com capacidade para produzir 100.000 unidades/período. A empresa suporta gastos com transportes e comissões, no valor de 20% da faturação emitida. Em certo período entraram em armazém de produtos acabados vindos da fábrica 60.000 unidades. A empresa suportou gastos com o consumo de matérias e outros materiais directos no montante de € 480.000 e gastos de conversão variáveis e fixos de € 240.000 e € 314.000, respetivamente. Os gastos não fabris de natureza fixa somaram € 280.000. Para a empresa obter um resultado de 10% do montante da facturação, tem de fabricar e vender: a) 72.000 unidades. b) 66.000 unidades. c) 60.000 unidades. d) 54.000 unidades.

    • TANIA SARAIVA
      28 Setembro 2014

      Olá Raquel,

      nesta situação temos de assumir que a empresa segue o sistema de custeio total. Logo, em primeiro lugar dever calcular o CIPA unitário face à produção do mês: MP + Gastos de conversão variáveis e fixos
      Após este cálculo basta efectuar a simulação de uma DR para cada quantidade indicada e irá concluir que será necessário vender 72.000 unidades.

Deixa a tua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 28 Junho 2012 by in Contabilidade.

Navegação

Jogadas anteriores

Fonte da imagem do cabeçalho

Jogadores

%d bloggers like this: