Contabilidade

Contabilidade de Custos | Analítica | Gestão – Prestações Recíprocas

O cálculo das Prestações Recíprocas, isto é, quando uma secção auxiliar presta serviço a outra(s) secção(ões) auxiliar(es) e esta(s) reciprocamente também presta(m) serviços à primeira, é sempre um bicho de 7 cabeças para o compreendermos. Espero com este artigo, conseguir desmistificar as “Prestações Recíprocas”.

As Prestações Recíprocas nascem da necessidade de atribuir os custos das Secções Auxiliares aos Produtos e/ou Serviços produzidos. Ora, como as Secções Auxiliares não têm relação directa com os produtos e/ou serviços, utiliza-se a relação destas com as Secções Principais para repartir os seus custos. Isto é, as Secções Auxiliares, são normalmente aquelas secções que garantem o correcto funcionamento das Secções Principais, como por exemplo: Secções de Manutenção, Limpeza, Refeitório, etc. e, através do seu trabalho para as Secções Principais conseguimos encontrar uma forma de repartir os seus custos pelos produtos. Contudo, por vezes as Secções Auxiliares, para além de trabalhar para as Secções Principais, também trabalham para outras Secções Auxiliares. Nestas situações, antes de imputarmos os custos das Secções Auxiliares às Secções Principais, temos de encontrar os custos finais de cada Secção Auxiliar, que não será mais nem menos do que os seus Custos Directos, mais o que as outras Secções Auxiliares trabalharam para ela e menos o que esta trabalhou para outras Secções Auxiliares. Vejamos o exemplo de um Mapa de Custos de Transformação com 3 Secções Principais e 2 Auxiliares:

Assumimos que as 2 Secções Auxiliares trabalham uma para a outra, obrigando-nos a encontrar o seu custo unitário através do recurso às Prestações Recíprocas. Após encontrarmos o custo unitário de cada Hora de trabalho das Secções Auxiliares já podemos, com base no critério de repartição definido pela empresa para as Secções Principais, imputar os seus custos a estas últimas.

Legenda:

  • SA1 – Secção Auxiliar 1
  • SA2 – Secção Auxiliar 2
  • SP1 – Secção Principal 1
  • SP2 – Secção Principal 2
  • SP3 – Secção Principal 3
  • C. Directos – Custos Directos da Secção

Qualquer dúvida não hesitem em deixar um comentário!

TS

Anúncios

59 thoughts on “Contabilidade de Custos | Analítica | Gestão – Prestações Recíprocas”

  1. Cara Cláudia,

    acredito que para uma rapariga do Marketing isto seja muito complicado, mas garanto-te que se assistisses a uma das minhas apresentações, dormir era algo que não querias fazer! Até quase que aposto que conseguia mudar a tua postura face à Contabilidade.

    Fica aqui o desafio e se quiseres podes vir assistir a uma das minhas apresentações, é só combinarmos!

      1. Olá Cléusio,

        já pensei em criar uns vídeos no youtube mas ainda não tive oportunidade. Se avançar com a ideia informo-o.

        Qualquer dúvida estou ao dispor.

        Cumps,
        TS

  2. Eu já ouvi dizer é que vou ter que fazer um mini-cursinho-qualquer para ajudar “alguém” na tese do Doutoramento 😉

    Combinado, vou assistir à aula quando explicares este mapa FASCINANTE 😉

  3. Linda menina!

    É esse o espírito que preciso! Quando criar o novo e magnífico questionário sobre O Perfil do Investidor, para a tese de doutoramento, preciso de todas as participações possíveis e imaginárias. O meu objectivo é tentar obter 15.000 respostas!

    1. Ola!
      Diga-me uma coisa, porque é que se assume o total da actividade de SA1, se supostamente parte dessa actividade está assignada a outra seccao? Não estar a duplicar-se os custos daquilo que é actividade “extraordinaria”?

      Cumprimentos

      1. Olá Lourena,

        Respondendo à sua questão não estamos a duplicar nenhum custo. Repare na fórmula que estamos a utilizar: a ideia é afirmar que o custo total daquela secção deve ser repartido pelo total de horas trabalhadas. E o mesmo se aplica à secção SA2.

        Se verificar o valor de cada hora de trabalho das SAs é distribuído pelas secções principais e pela outra secção auxiliar.

        Vamos considerar um exemplo simples:

        SA1
        C. Directos: 40.000€
        Actividade:
        SP1: 1.000hh
        SP2: 500hh
        SA2: 500hh

        SA2
        C. Directos: 65.000€
        Actividade:
        SP1: 1.000hm
        SP2: 2.000hm
        SA1: 1.000hm

        Cálculo das Prestações Recíprocas:

        SA1 = C.Directos + Custo das horas que trabalhou para SA2 = Total das suas horas trabalhadas

        SA2 = C.Directos + Custo das horas que trabalhou para SA1 = Total das suas horas trabalhadas

        ou seja,

        SA1 = 40.000€ + 1.000hm = (1.000+500+500)hh

        SA2 = 65.000€ + 500hh = (1.000+2.000+1.000)hm

        resultado final será:
        SA1 = 30€

        SA2 = 20€

        Interpretação:
        Cada H da SA1 custa 30€, que são distribuídas pelas restantes secções na proporção das horas trabalhadas para cada uma delas.

        Cada H da SA1 custa 20€, que também serão distribuídas pelas restantes secções na proporção das horas trabalhadas para cada uma delas.

        Qualquer outra questão não hesite. Se precisar de algum exercício completo com Secções Homogéneas, posso colocar aqui no blog.

        Cumps,
        TS

  4. Bom dia, o meu nome é joao pinto e neste momento estou a fazer um trabalho sobre Repartição dos Gastos, onde engloba repartiçoes primarias e secundarias dos custos, prestaçoes simples e prestaçoes reciprocas e não encontro muita informação à cerca do assunto. queria que se tivesse alguma informação a cerca deste assunto me fornecesse. sem mais nada a dizer obrigado, e aguardo resposta.

    1. Boa tarde João,

      Tenho algum material, mas é mais no formato de aula. Tente consultar os seguintes livros:

      1. Caiado, António C. Pires. (2002), Contabilidade Analítica e de gestão, 5ª edição, Área editores, Lisboa, 2009
      2. Pereira, Carlos Caiano e Victor Seabra Franco, Contabilidade Analítica, Lisboa, Rei dos Livros, 6.ª edição, 1994;
      3. Colin Drury (2004), Management and Cost Accounting, International Thomson Business Press, 5ª edição (CC-1265(7)).
      4. Charles Horngren, George Foster e Srikant Datar (2006), Cost Accounting. A Managerial Emphasis, Prentice-Hall International, 10ª edição (CC-1281(6)).
      5. Alnoor Bhimani, Chartes T. Horngren, Srikant M. Datar, George Foster, Management and Cost Accounting, Prentice Hall International, 4ª Edição, 2008

      Se for de Lisboa, eles estão todos disponíveis na biblioteca do ISCAL (Av. Miguel Bombarda). Qualquer questão não hesite!

      Cumps,
      TS

      1. Ola Tânia,

        Eu sou a Anabela, e ando um bocado as voltas com um trabalho de contabilidade de gestão e não consigo entender como chegou aos valores unitarios na explicação que deu a Loureana. Sera que me pode explicar, pois por mais contas que faça não consigo la chegar.
        Cumps.
        Anabela

      2. Olá Anabela,

        em relação às prestações recíprocas é apenas uma resolução de um sistema com 2 variáveis:

        SA1 = 40.000€ + 1.000hm = (1.000+500+500)hh

        SA2 = 65.000€ + 500hh = (1.000+2.000+1.000)hm

        RESOLUÇÃO:

        SA1 = (40.000 + 1.000hm) / 2.000hh

        SA2= —-

        SA1 = 20 + 0,5hm = hh ( a partir daqui temos a variável hh isolada e já não podemos continuar. devemos substituir na SA2 para resolver o sistema)
        SA2 = 65.000€ + 500x(20 + 0,5hm) = 4.000 hm

        SA1 = —–
        SA2 = 65.000 + 10.000 + 250 hm = 4.000 hm

        SA1 = —–
        SA2 = 75.000 = 4.000 hm – 250 hm

        SA1 = —–
        SA2 = 75.000 = 3.750 hm

        SA1 = ——
        SA2 = hm = 75.000/3.750 = 20€

        SA1 = 20 + 0,5×20 = hh
        SA2 = hm = 20€

        SA1 = hh = 30€
        SA2 = hm = 20€

        Qualquer dúvida adicional, não hesite em contactar-me.

        Cumps,
        TS

  5. Bom dia. Quando estamos a utilizar o sistema de custeio variável ou o racional, isso altera os custos diretos, isto é, no caso do SCV só entrariam os custos variáveis no cálculo do custo unitário?

    1. Olá Diana,

      no cálculo do custo unitário a utilização do sistema de custeio variável ou racional é fundamental.
      No custo unitário do sistema de custeio variável só se considera os custos variáveis
      No custo unitário do sistema de custeio racional para além dos custos variáveis, devem ser imputados parte dos custos fixos de acordo com a capacidade utilizada pela empresa no período em análise.

      Certo?

      Ler o artigo: https://baralhodeideias.wordpress.com/2012/06/27/contabilidade-de-custosanaliticagestao-sistemas-de-custeio/ a ver se ajuda.

      Vou tentar colocar um exemplo prático para ajudar-vos

      Cumps,
      TS

  6. E depois no mapa dos custos de produção, quando se calcula o CIPA, entra o consumo de MP, e os custos de transformação: MOD e GGF, sendo que os GGF englobam os custos das seções principais x as unidades despendidas para a produção do produto. Neste caso não há forma de separar os gastos GGF, consideramos que são todos variáveis, caso nos seja pedido para utilizar o SCVariável?

    1. Diana,

      não lhe posso dar uma resposta concreta, porque não estou a ver o que lhe está a ser pedido. Mas parece-me que está a misturar matérias, uma coisa é Método das Secções Homogéneas, outra é Sistemas de Custeio.

      Os Sistemas de Custeio, obrigam a uma adaptação do CIPA unit. a cada um deles, independentemente da empresa utilizar as Secções Homogéneas.

      Logo, não conhecendo o exercício em causa, apenas refiro que:

      No SCV deves considerar: MP consumida + MOD variável + GGF variáveis
      NO SCR deves considerar: MP consumida + MOD variável + GGF variáveis+ (MOD fixos + GGF fixos) x (atividade real /atividade normal)

      Cumps,
      TS

  7. Boa tarde;
    Estou a estudar em CA exatamente este processo de custeio e não consigo compreender porque é que ao custo total das secções auxiliares, não é deduzido os valores que foram distribuídos pelas outras secções. Assim parece-me que existe uma duplicação dos custos finais.
    Muito obrigada pelo seu amável esclarecimento.
    MdaCruz

    1. Olá Maria Antonieta,

      a ideia do Método das Secções é imputar a totalidade dos Custos das Secções Auxiliares às Secções Principais que são as únicas com relação directa com os Produtos/Serviços da Empresa. Ora como o objectivo é apurar o Custo de Produção por Produto ou Serviço é como se as secções auxiliares deixassem de ter custo associado e esse fosse totalmente transferido para as secções principais.

      Assim, o objectivo é que as secções auxiliares fiquem a 0.

      Certo?

      Cumps,
      TS

  8. Olá Tânia
    Muito obrigada pela rápida e esclarecedora resposta e já agora estou a tentar resolver um exercício sobre esta matéria, mas está difícil …
    Passo a explicar:
    S.M : 61.600€ de custos diretos + 25% dos custos da S.G.C. = 15000Hh
    S.G.C: 50.000€ de custos diretos + 3000Hh da S.M = 100%

    O resultado apresentado pelo professor é: Manutenção 5,2€ /Hh – Gastos Gerais 65000€.

    Na resolução deste exercício segui o raciocínio da sua resposta à Anabela, mas deu-me um resultado completamente diferente do Prof.

    Agradeço a sua ajuda com todos os cálculos auxiliares e explicações que achar convenientes.

    Cumps,
    MA

    Legendas:

    S.M. – Secção Manutenção
    S.G.C – Secção Gastos Gerais

    1. Olá Antonieta,

      Por minha experiência quando há uma Secção Auxiliar com “%” os alunos baralham-se sempre. Temos de encarar o símbolo “%” como o “Hh”. Assim temos:

      Manutenção 61.600 + 25% = 15.000Hh
      Gastos Comuns 50.000 + 3.000Hh = 100%
      =
      Manutenção 61.600 + 0,25x(50.000+3.000Hh) = 15.000 Hh
      Gastos Comuns —
      =
      Manutenção 61.600 + 12.500 + 750Hh = 15.000 Hh
      Gastos Comuns —
      =
      Manutenção 74.100 = 14.250 Hh
      Gastos Comuns —
      =
      Manutenção Hh = 5,20€
      Gastos Comuns 50.000 + 3.000 x (5,2) = %
      =
      Manutenção Hh = 5,20€
      Gastos Comuns % =65.600€

      Nota: O valor do GC que indica não pode ser 65.000€, deve ter copiado errado. Mas confirme!

      Cumps,
      TS

  9. Olá Tânia,
    Muito obrigada pela resposta e realmente enganei-me na transcrição do valor dos G.C que são efetivamente 65.600€
    Cumps.
    Maria

  10. Olá Tânia,
    Cá estou eu com mais uma dúvida ainda sobre esta matéria.
    Assim temos:
    Manutenção: 8.250€ (CD) + 20Hh (GPF) = 250Hh
    GPF: 22.750€(CD) + 12,5Hh (Manutenção) = 230Hh
    Resultado (prof):
    GPF = 101,15 €
    Manutenção: 41,09 €
    Preciso dos cálculos.
    Ob.
    M. Antonieta

    1. Olá Antonieta,

      desta vez já consegue resolver sozinha!

      Tente por favor resolver iniciando com a seguinte regra:

      como as 2 secções têm a mesma unidade de obra (hh), faça a seguinte adaptação:
      – Manutenção: Hh = x
      – GPF: Hh = y
      Isto para não se baralhar nos cálculos.

      Agora continue a resolver a partir daqui:
      Manutenção: 8.250€ + 20y = 250x
      GPF: 22.750€ + 12,5x = 230y

      Manutenção: x = (8.250€ + 20y) / 250
      GPF: ————–

      Manutenção: x = ????
      GPF: 22.750€ + 12,5 (????) = 230y

      Aguardo o seu comentário com o resto da resolução. Vamos tentar resolver as 2 em conjunto para que a Antonieta fique especialista em Prestações Recíprocas.

      TS

      1. Ainda não consegui ter tempo para este sistema.
        Ob. pelo seu interesse.
        M. Antonieta

  11. ola professora Tânia 🙂
    tenho duvidas quanto a um exercício relativamente a como se repartem os custos quando existem prestações reciprocas entre secções auxiliares. o exercício é o seguinte:

    os GGF da 1º repartição são:

    secções auxiliares:
    serviço X: 50000 u.m.
    serviço Y: 17000 u.m.

    secções principais:
    Alfa: 181000 u.m.
    Beta: 100600 u.m.
    total – 348600 u.m.

    o departamento de serviços X trabalha para os restantes departamentos conforme as seguintes percentagens calculadas com base no número de horas da mão-de-obra (1000H):
    SERV. Y 10% (100H)
    ALFA 60% (600H)
    BETA 30% (300H)

    o departamento de serviços Y trabalha para os restantes departamentos conforme as seguintes percentagens calculadas com base no número de horas da mão-de-obra (2000H):
    SERV: X 20% (400H)
    ALFA 50% (1000H)
    BETA 30% (600H)

    a minha dúvida é: como é que faço a repartição dos custos?
    🙂
    cumprimentos,
    Helena

    1. Olá Helena,

      A repartição dos custos é feita a 2 níveis:

      A repartição primária: que já é dada, onde nos indicam a repartição dos Custos Indirectos (GGF) por secção;
      E pela repartição secundária: que consiste em imputar os Custos das Secções Auxiliares (que têm uma relação indirecta com os P&S) às secções Principais.

      Só que no exemplo que apresenta temos as secções auxiliares a trabalharem uma para a outra (Prestações Reciprocas). Então, teremos de resolver as PR recorrendo ao sistema de equações e só depois conseguimos apurar os custos de transformação por secção principal.

      Então para te orientares deves considerar a seguinte base:

      Cálculo Auxiliar:

      Serv. X = 50.000€ + 400 y = 1.000 x
      Serv. Y = 17.000€ + 100 x = 2.000 y

      Resolves a equação e apuras os custos médios da hora de cada uma das secções auxiliares e depois com base no consumo das secções principais imputas os seus custos.

      ESpero o teu comentário com a resolução do cálculo para concluirmos o exercício.

      X = ??
      Y = ??

      Até já!
      TS

    1. Olá Angelo,

      há sempre uma fórmula para tudo! 🙂

      No caso das Prestações Reciprocas é pensar sempre assim:

      SAUX.1 = Custos Directos + O que a SAUX.2 trabalhou para a SAUX.1 = Total trabalhado pela SAUX. 1 (incluindo o que trabalhou p a SAUX.2 + o que trabalhou para as secções principais)
      SAUX.2 = Custos Directos + O que a SAUX.1 trabalhou para a SAUX.2 = Total trabalhado pela SAUX. 2 (incluindo o que trabalhou p a SAUX.1 + o que trabalhou para as secções principais)

      Cumps,
      TS

  12. Olá Tânia.
    Estou a estudar neste momento para um teste que vai sair sobre esta máteria. Mas tenho algumas dúvidas na resolução de um exercício. Será que me poderia ajudar na resolução?
    Obrigada.

    Cumps,

  13. Olá Tânia.
    Gostaria de pedir ajuda na resolução de um exercício nomeadamente no cálculo dos reembolsos (repartição secundária) do departamento S1.

    O departamento S1 é de 203680 e o S2 é de 174585.
    O departamento S1 divide a sua actividades na proporção de 10% no departamento S2.

    Como é que calculo?

    Obrigada pela atenção.
    Cumprimentos, Raquel

    1. Raquel,

      para conseguirmos resolver este problema temos que conhecer todos os dados. A S2 trabalha para a S1? qual a repartição dos custos da S2.

      Envie os dados todos.

      Cumps,
      TS

    1. Olá Raquel,

      conforme validei este exercício não tem secções auxiliares a prestar de forma recíproca logo a repartição secundária é bastante pacifica. Isto é, basta de acordo com a indicação dos pesos de repartição imputar o custo às secções principais. A parte mais difícil a Raquel já a fez que foi apurar por secção o valor dos GGF:

      Repartição Primária
      Ordenados de engºs e outros 625000 312500 437500
      Depreciações móveis e utensílios 3000 9000 6000
      Depreciações de máquinas 40000 90000 120000
      Renda da fábrica 8000 4800 14400
      Energia eléctrica 4750 4370 2850
      Quebras de stocks 5000
      TOTAL GGF por Secção 680750 420670 585750

      Assim a Repartição Secundária, ou seja, imputar os custos das Secções Auxiliares (S1 e S2) é feito:
      S1 S2 A B C
      Q € Q € Q € Q € Q €
      Repartição Primária 203.680,00 € 174.585,00 € 680.750,00 € 420.670,00 € 585.750,00 €
      Reembolsos
      S1 10% 20.368,00 € 30% 61.104,00 € 60% 122.208,00 €
      S2 100% 194.953,00 €
      Custo GGF 741.854,00 € 542.878,00 € 780.703,00 €

      Não sei se desta forma se compreende. Se me autorizar posso publicar um post com a resolução.

      Cumps,
      TS

  14. Olá Tânia;
    Desta vez a minha dúvida prende-se com um exercício de Contabilidade Financeira, e, por isso não sei se me puderá ajudar … De qualquer maneira envio-lhe os pontos em que tenho dúvidas e se me puder ajudar, no sentido de me dizer, em sua opinião, quais as contas que movimentaria, ficar-lhe-ía muito grata.
    Então aqui vai:
    5)A Brisa efectuou a concessão de áreas de serviço (postos de abastecimento de combustíveis, restaurantes, etc.) a empresas especializadas. A renda média mensal é de 500. Os concessionados ficaram a dever um mês e rendas.

    6)A Brisa concorreu e ganhou a concessão de um lanço de autoestradas com portagem em Inglaterra. O custo da concessão é de 90.000 a pagar em 3 tranches anuais e iguais em 2013, 2014 e 2015. A concessão é válida por 20 anos e iniciou-se em 1 de Abril e 2013.

    7) Aquando da venda de equipamentos eletrónicos a empresa vendeu também contratos de assistência técnica, a esses equipamentos, no valor de 600 e relativos a um ano. O valor da assistência técnica prestada em 2013 foi de 400 que foi integralmente recebido durante este mesmo ano.

  15. Olá Tânia;
    Finalmente tive tempo para resolver o exercício que lhe enviei a 29/10
    Então aqui vai a minha resolução:
    Dados:
    Manutenção: 8250€ + 20Hh (GPF) = 250Hh
    GPF: 22750€ + 5% (Manutenção) = 230Hh
    Cálculos Auxiliares GPF:
    22750€+5% [8250€+20Hh(GPF)]= 230Hh
    22750€ + 412,50€ + 1Hh = 230 Hh
    22750 + 412,50 = 230Hh – 1Hh
    23162,50/229Hh = 101,15€/Hh
    Cálculos Auxiliares Manutençao:
    8250€ + (20Hh * 101,15€) = 250Hh
    10273€/250Hh=41,092€/Hh
    Muito obrigada.
    M. Antonieta

    (P.S.- Será possível enviar-me o seu e-mail? Ob.)

  16. Olá, Tânia, será que me podias dar uma ajuda na resolução deste exercício. A prestação reciproca entre a secção mecânica e eletrica tem que fazer antes de se distribuírem os custos da secção auxiliar ou depois? O que é certo e que tentei das duas formas mas não conseguiu. As soluções diz que a resposta correta é a C).
    A Oficina de Reparação Automóvel de Chelas, Lda, dispõe das secções Mecânica, Pintura Elétrica, para além da secção Gastos Comuns da Oficina, cujos gastos são repartidos pelas restantes secções em função da actividade. A contabilidade apurou de gastos diretos no mês de maio do período N para as secções principais, respectivamente, €5.650, €4.150, €4.050 para a Mecânica, Pintura e Elétrica e €20.400 para a secção Gastos Comuns. A actividade do mês da Mecânica, Pintura e Elétrica foi, respectivamente, de 600Hh, 120 Hm e 300 Hh. A Mecânica no mês forneceu 10 Hh à Pintura e 15Hh à Elétrica, enquanto que esta última forneceu 10 Hh à Mecânica e 10 Hh à Pintura.
    O custo unitário da hora da Pintura e da Mecânica no mês de maio foi, respectivamente:
    a) € 60 e € 35.
    b) € 55 e € 30.
    c) € 60 e € 30.
    d) € 35 e € 30.

    1. Olá Sandra!

      este exercício foge um pouco ao conceito teórico de prestações recíprocas, dado serem as secções principais a reciprocamente trabalharem umas para as outras. Logo, talvez dai a tua dificuldade em resolver este exercício. Vamos por partes:

      1º Temos de repartir o custo da secção auxiliar Gastos Comuns pelas secções principais. Assim, temos 20.400€ que a repartir pela actividade total das secções principas tem um custo unitário de 20€ (20.400/ (600+120+300)). Depois de acordo com a actividade de cada secção principal imputar o respectivo custo.

      2º Temos que apurar o custo unitário da secção electrica para conseguirmos calcular o custo unitário das restantes secções. É aqui que entra o sistema de equações para conseguirmos apurar os custos unitários das secções que reciprocamente trabalham uma para a outra: Mecânica e Electrica:

      O sistema será sempre construído com: Custos directos da secção + custo imputado da secção Gastos Comuns + actividade que a outra secção desenvolveu para a outra secção = ao total de actividade da secção em análise. Traduzindo em números temos:

      Mecânica = 5.650€ + 12.000€ + 10Hh = 600 Hm
      Electrica = 4.050€ + 6.000€ + 15Hm = 300 Hh

      Resolvendo o sistema apuramos que:
      Mecânica = 30€
      Electrica = 35€

      Com o sistema ficamos logo a conhecer o custo unitário da secção mecânica fica a faltar a secção Pintura. Ultimo passo:

      3º Apurar o custo unitário da secção Pintura:

      Total custos da Pintura: 4.150€ (gastos directos) + 2.400€ (gastos comuns) + 10Hm (mecânica) + 10 Hh (electrica) . Resolvendo temos:
      4.150€+2.400€+10×30€+10×35€ = 7.200€ se dividirmos pela actividade total desta secção temos um custo unitário por hora de 60€ (7.200€/120H)

      qualquer questão adicional diz!

      Cumps,
      TS

      1. Olá Tânia.
        A minha dificuldade era conseguir passar ao 3º passo, mas assim já estou mais esclarecida.
        Obrigada mais uma vez pela ajuda.
        Cumps,
        Sandra

  17. Bom Dia Prof. Tânia
    Estou a resolver uns problemas e gostava de ter a sua resolução, para ver se não me enganei em nada, que é o seguinte;
    Uma empresa de comercialização de máquinas industriais, vendeu no inicio do mês de Junho do ano N, dois equipamentos no valor de 50.00€, cada um, a dois clientes diferentes. Sabe-se que a taxa de juro de mercado para financiamentos é de aproximadamente de 5%. Os prazos de pagamento acordados foram os seguintes:
    Cliente A: Pagamento a 8 dias
    Cliente B: Pagamento diferido em Junho de N+1
    Proceda aos registos contabilisticos em diário, que a empresa deve efetuar durante o ano N e N+1, referente às operações enunciadas, Enquadre a sua resposta nas normas aplicáveis.
    Desde Já agradeço a atenção dispensada.
    Cumps.
    Manuela Vieira

  18. Ola Tânia

    Após analise das respostas verifico que tem sido uma grande ajuda para quem esta com dificuldades para a resolução de exercícios de contabilidade.
    Eu também me insiro nesse grupo pelo que quero saber se me pode ajudar na resolução deste exercício:

    – Uma empresa esta organizada em secções principais e auxiliares ou de apoio,
    para além de uma secção de Direcção Fabril, cujos gastos são repartidos pelas
    restantes secções em função dos gastos directos, cabendo à secção auxiliar Conservação 10%.
    Esta última apoia as secções da fábrica e da estrutura não fabril.
    Em certo período a secção Conservação teve de gastos directos €32.460 e trabalhou 600
    horas, das quais 40 foram aplicadas na secção Direcção Fabril. Esta última secção teve
    €72.336 de gastos direitos.
    No período, o custo unitário da hora de Conservação foi:

    a) €68,2.
    b) €60,5.
    c) €66,6.
    d) €64,0.

    Ja tentei varias vezes e não chego ao valor.

    Sera que me podes ajudar?

    Obrigado pela atenção

    Miguel Silva

  19. Ollá TANIA SARAIVA eu sou Samuel Pakala, gostei muito do exercício publicado por ti em relação a dúvida da flora, na verdade eu estava mesmo com dúvida de como repartir os gastos recíproco porém apôs a leitura do exercício entendi melhor em relação aos exercícios do meu livros. Gostei muito a sua forma sintética de abordar exercícios.. Grato!

Deixa a tua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s