Baralho de Ideias

Quem ganhar uma vaza dará início à seguinte.

Cinema Português: Incompreendido ou confuso?

Segundo as estatísticas do Instituto do Cinema e do Audiovisual, para um período compreendido entre 2004 e 2012, verificamos que o filme português com mais afluência às salas de cinema foi “O Crime do Padre Amaro”, de Carlos Silva, de 2005, com 380 671 espectadores, em relação aos 40 filmes mais vistos nesse mesmo período, podemos dizer que o 40º tem mais de 425 000 espectadores, o que nos deixa que pensar, porque é que as produções nacionais não fazem parte das preferências do público nacional?

Sem um estudo mais aprofundado, poderemos apenas especular e comentar sobre certos factores, o primeiro dos quais a comunicação social. Relativamente a este meio, onde se costuma ver publicitado o cinema nacional? Na televisão as produções de Hollywood são clientes regulares da publicidade dos nossos canais, nos jornais a referência ao cinema português costuma ocupar as últimas páginas próximas das palavras cruzadas. Na divulgação da cultura, os cortes motivados pela conjuntura económica em que o País mergulhou inibem a divulgação da cultura, sendo que os blogs de vários cinéfilos não remunerados hoje em dia constituem uma grande fonte de informação do cinema nacional.

O segundo factor será sempre o público. E pelo que me é possível aperceber, o grande público, o que frequenta as salas de cinema, veêm o cinema nacional como filmes demasiado “intelectualóides” e “elitistas”. Não deixa de ser uma situação que em muitos casos tem algum fundo de verdade. Muitos filmes portugueses têm reconhecimento internacional, em vários festivais de cinema que não são do conhecimento de qualquer indivíduo, e é precisamente nestes que os filmes nacionais vão conseguindo as suas conquistas, longe dos olhos comerciais da distribuição e consequentemente longe das salas de cinema.

Contudo, não se pode isentar o público das suas responsabilidades e simplesmente querer sugerir as produções nacionais como “aborrecidas”. Nesta vertente da cultura ainda existe uma fraca adesão da população portuguesa, como comprovam as estatísticas relativamente aos números de espectadores nos festivais. O Fantasporto, provavelmente o Festival de cinema de maior prestígio do nosso País, conseguiu, em 2011, em duas semanas de exibição, a presença de 47 395 espectadores, um número idêntico a, por exemplo, ao mais recente Sporting – Benfica, que contou com a presença de 47 409 espectadores.

Qual o caminho a seguir? Passará sempre pela intervenção dos vários actores, primeiro numa aproximação entre algumas das exigências comerciais do grande público e a respectiva adequação dos conteúdos das produções nacionais e definitivamente terá de voltar a existir um maior apoio ao desenvolvimento do cinema português, é insustentável querer que se faça muito com cada vez menos.

Deixa a tua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 29 Maio 2012 by in Cinema and tagged .

Navegação

Jogadas anteriores

Fonte da imagem do cabeçalho

Jogadores

%d bloggers like this: